Mangas World

Wednesday, August 30, 2006


Jag vil ha en Kabriolet

Tuesday, August 29, 2006

És um parvalhão

Por vezes, quando se tem um mau dia e precisamos de o descarregar em alguém, não o faça em alguém seu conhecido. Descarregue em alguém que NÃO conheça.
Estava sentado à minha secretária, quando me lembrei de um telefonema que tinha de fazer. Encontrei o número e marquei-o. Respondeu um homem que disse: "Está?"
Educadamente respondi-lhe: "Estou! Sou o Luís Alves. Posso falar com a Sra.Ana Marques, por favor?"
Ficou com uma voz transtornada e gritou-me aos ouvidos: "Vê lá se
arranjas a mer** do número certo, ó filho da pu**!" e desligou o telefone.
Nem queria acreditar que alguém pudesse ser tão mal educado por causa de uma coisa destas. Quando consegui ligar à Ana, reparei que tinha acidentalmente transposto os dois últimos dígitos.
Decidi voltar a ligar para o número "errado" e, quando o mesmo tipo
atendeu, gritei-lhe: "És um grande parvalhão!" e desliguei. Escrevi o
número dele juntamente com a palavra "parvalhão" e guardei-o.
De vez em quando, sempre que tinha umas contas chatas para pagar ou um dia mesmo mau, telefonava-lhe e gritava-lhe: "És um parvalhão!" Isso
animava-me.
Quando surgiu a identificação de chamadas, pensei que o meu terapêutico telefonema do "parvalhão" iria acabar. Por isso, liguei-lhe e disse:
"Boa tarde. Daqui fala da PT. Estamos a ligar-lhe para saber se conhece o nosso serviço de identificação de chamadas!" Ele disse "NÃO!" e bateu o telefone. De seguida liguei-lhe, e disse: "É porque és um parvalhão!"
Uma vez, estava no parque do Centro Comercial e, quando me preparava para estacionar num lugar livre, um tipo num BMW cortou-me o caminho e estacionou no lugar que eu tinha estado à espera que vagasse.
Buzinei-lhe e disse-lhe que estava ali primeiro à espera daquele lugar, mas ele ignorou-me. Reparei que tinha um letreiro "Vende-se" no vidro de trás do carro, e tomei nota do número de telefone que lá estava.
Uns dias mais tarde, depois de ligar ao primeiro parvalhão, pensei que
era melhor telefonar também para o parvalhão do BMW.
Perguntei-lhe: "É o senhor que tem um BMW preto à venda?"
"Sim", disse ele.
"E onde é que o posso ver?", perguntei.
"Pode vir vê-lo a minha casa, aqui na Rua da Descobertas, Nº 36. É uma
casa amarela e o carro está estacionado mesmo à frente."
"E o senhor chama-se?..." perguntei.
"O meu nome é Alberto Palma", disse ele.
"E a que horas está disponível para mostrar o carro?"
"Estou em casa todos os dias depois das cinco."
"Ouça, Alberto, posso dizer-lhe uma coisa?"
"Diga!"
"És um grande parvalhão!", e desliguei o telefone.
Agora, sempre que tinha um problema, tinha dois "parvalhões" a quem
telefonar.
Tive, então, uma ideia. Telefonei ao parvalhão Nº 1.
"Está?"
"És um parvalhão!" (mas não desliguei)
"Ainda estás aí?" ele perguntou.
"Sim", disse-lhe.
"Deixa de me telefonar!" gritou.
"Impede-me", disse eu.
"Quem és tu?" perguntou.
"Chamo-me Alberto Palma", respondi.
"Ah sim? E onde é que moras?"
"Moro na Rua da Descobertas, Nº 36, tenho o meu BM preto mesmo em
frente, ó parvalhão. Porquê?
"Vou já aí, Alberto. É melhor começares a rezar", disse ele.
"Estou mesmo cheio de medo de ti, ó parvalhão!" e desliguei.
A seguir, liguei ao parvalhão Nº 2.
"Está?"
"Olá, parvalhão!", disse eu.
Ele gritou-me: "Se descubro quem tu és..."
"Fazes o quê?" perguntei-lhe.
"Parto-te a tromba!" disse ele.
E eu disse-lhe: "Olha, parvalhão, vais ter essa oportunidade. Vou agora
aí a tua casa, e já vais ver."
Desliguei e telefonei à Polícia, dizendo que morava na Rua da
Descobertas, Nº 36 e que ia agora para casa matar o meu namorado gay. Depois liguei para as cadeias de TV e falei-lhes sobre a guerra de gangs que se estava a desenrolar nesse momento na Rua da Descobertas.
Peguei no meu carro e fui para a Rua da Descobertas. Cheguei a tempo de ver dois parvalhões a matarem-se à pancada em frente de seis viaturas da polícia e uma série de repórteres de TV.
Já me sinto muito melhor.
Gerir a raiva sempre funciona.


(esclarecimento: não me aconteceu a mim, recebi o texto por mail)

Foi um acidente


Frequentemente nos filmes americanos, os personagens quando surpreendidos pelo conjugue em pleno acto com o amante, dizem – foi um acidente , não é o que estás a pensar.

O que levará alguém a dizer que foi um acidente? Será por considerar que não foi planeado?

Mas alguém na vida real diz isso? Foi um acidente

Depois imaginem a mãe a desabafar com uma amiga.

Mãe (do personagem apanhado) - a minha filha teve um acidente

Amiga – então? O que lhe aconteceu ? é grave? Aleijou-se? Foi de carro?

Mãe- Nah, nada disso

Amiga - então?

Mãe – a minha filha aproveitou que o marido dormiu fora em trabalho, convidou o amante para ir lá a casa, deitaram-se os dois, ela despiu-se, o amante também, ele colocou-se de gatas e pimba

Amiga - e isso é um acidente?

Mãe, ela disse que sim, ao marido, quando este os surpreendeu

Monday, August 28, 2006

Gosto de dias inesperados

Quando o inesperado que nos acontece é bom, claro....


Starving in the midst of plenty

Traduzindo esta frase dá mais ou menos ( como não sou interprete tradutor) passar fome no meio da abundância.

Não consigo relacionar a frase com a foto, alguem tem ideias?

Thursday, August 24, 2006


Há dias de azar

Slevin Kelevra (Josh Hartnett) tem vários problemas na sua vida. O prédio onde mora foi condenado, a sua identificação foi roubada e a sua namorada anda a traí-lo. Para escapar por algum tempo dos problemas, pede emprestado com seu amigo Nick Fisher (Sam Jaeger) um apartamento em Nova York. Paralelamente há um plano a ser delineado no submundo do crime de Nova York. Para se vingar da morte do filho, o Chefe (Morgan Freeman) planeia um golpe ao filho de seu arqui-inimigo, o Rabino (Ben Kingsley). O Chefe contrata Goodkat (Bruce Willis) para executar o plano, que consiste em encontrar um apostador que deva muito dinheiro ao Chefe a ponto de aceitar matar o filho do Rabino para se livrar da dívida. O escolhido é Nick Fisher, o que faz com que Goodkat vá até ao seu apartamento e confunda Slevin com seu alvo. Lucky Number Slevin é um filme de suspense que mostra o submundo do crime e vingança onde nada parece o que é.Ficha TécnicaTítulo Original: Lucky Number SlevinGénero: Crime/Drama/Thriller (M/16)Realização: Paul McGuiganInterpretação: Josh Hartnett, Bruce Willis, Lucy Liu, Morgan Freeman, Ben Kingsley, Stanley TucciDuração: 1h49mAno: 2006


Fui ver este filme ontem, gostei muito, recomendo.

Tuesday, August 22, 2006


Mamilo II

Esta vem a propósito do post anterior, só para quebrar o gelo

Vcs sabem porque é que existem aqueles pontinhos à volta do mamilo feminino?

Eu tb não, mas em Braille significa – beija aqui


Não dar conta

Hoje tenho uma questão mais virada para o universo feminino

Uma colega minha, muito mais velha do que eu, estava-me a explicar um relatório por ela feito e encostou uma mama ao meu ombro, até aqui nada de especial, há mais mamas encostadas a ombros no planeta terra do actividade física íntima.

Mas a coisa parecia-me completamente desenquadrada, e eu pensava, será que está distraída?
Existe estar distraída quando se encosta um mamilo rijo nas costas de um colega? Isso existe? Ou é nitidamente uma situação provocadora,

Quanto mais eu sentia aquele mamilo rijo, como que a pedir beija aqui, mais eu pressionava também as costas, e mais ela me parecia distraída, infantil, como se fosse uma pré-adoslecente que se senta de saias e pernas abertas, com inocência …

a reflexão é mesmo, é possível não dar conta?

Friday, August 18, 2006



Falar no seu próprio microfone

Este pequenote consegue a proeza de falar no seu próprio microfone, com grande esforço é certo, mas lá consegue e até parece meio satisfeito, a grande questão para a humanidade é :

Era capaz de falar ao teu próprio microfone?? ( caso conseguisses lá chegar claro, e não vale publicidade enganosa a dizer que o tamanho é tão grande que etc etc...) )


E VIVA O VERÃO

Thursday, August 17, 2006



Life is too short for the wrong job

Esta porcaria de frase em vez de me animar aborreceu-me, deve ser por ter regressado de férias ha pouco, ando a precisar de motivação, o que vale é que amanhã é novamente um dos meus dias Santos preferidos......

Alguem adivinha qual é o dia Santo de amanhã?



Os meu sentimentos oliveira



Volto já

Wednesday, August 16, 2006

2ª feira

A pior Segunda-feira do ano, é a que marca o nosso regresso de férias, por isso este ano experimentei regressar numa Quarta-feira, a sensação é igualmente má, e angustiante, o que vale é que daqui a dois dias é Sexta-feira

I’m back, estou de volta on line, I’m back from the after life( a parte do after life era só para dramatizar)

Get ready for na intense august, quer dizer, mais vale não prometer nada, para não criar expectativas, nem a mim próprio

Por isso – get ready for nothing

Free Website Counter
Get a Free Website Counter